sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Amada 28: "sou uma eterna insatisfeita"

Querida Sheila,

Somos conhecidas, mas não quero me identificar por razões óbvias.
Como você é uma mulher culta que já viu e viveu muitas coisas, talvez possa me ajudar: desisti dos psicanalistas com suas respostas não respostas.
Meu caso é que não fico feliz com nada: tenho dinheiro, ainda uma certa beleza, cultura, saúde e mesmo assim... no momento não tenho namorado mas quando tinha também estava infeliz, pois via nele mil defeitos. Mas agora desejo reatar minha relação com ele; já fiz isto mil vezes e quando volto, fico feliz na hora e infeliz em seguida e tudo recomeça: ciclos de rápida felicidade e assim que alcanço o que almejo, morro de infelicidade.
Será que pode me dar uma palavra de esclarecimento?



Querida amada 28,

O seu enigma está resolvido na frase "assim que alcanço o que almejo, morro de infelicidade". Isto quer dizer que tudo o que importa para você é a batalha, não a conquista. A minha sugestão é a seguinte: desvie o seu combate para outro lugar e deixe a relação amorosa em paz. Lute em outros domínios. Com dinheiro, beleza, cultura e saúde você saberá sair de seu mundo particular e se deslocar para onde precisam de você. Não sei qual é a sua especialidade, mas é nela que você deve brigar, e continuar insatisfeita, para poder melhorar. Depois descanse - merecidamente - nos braços do seu namorado, pois os homens - quando são confiáveis - não foram feitos para que lutemos contra eles. Foram feitos para nos completar. O seu querido precisa de você da mesma forma que você precisa dele. Ele tem defeitos? Você também tem. Mesmo que não o ame, parece que você gosta dele e isso já é um bom motivo para aceitá-lo como ele é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade. Faça o seu comentário.